EM RESPOSTA À DELEGACIA SINDICAL DO SINAIT NA BAHIA

Em resposta à Delegacia Sindical do Sinait na Bahia

O SAFITEBA – Sindicato dos Auditores Fiscais do Trabalho no Estado da Bahia, em resposta a Nota postada por este agrupamento vem complementar seu informativo nos seguintes termos:

  • O áudio divulgado faltaram os nomes: reproduz fala do Sr. Roberto Miguel, atual presidente desta representação na Bahia, com uma resposta de Carlos Silva, atual presidente do Sinait, nela o referido senhor externa qual é a grande demanda da delegacia local – a compra de um imóvel –. No que diz essência o nosso debate estadual, os principais trechos, dizem:

Fala de Roberto Miguel: “ nós ficamos na situação de uma sede que não é compatível com a gente…qual foi o projeto desde que entrei. Juntar dinheiro para comprar uma sede. Quando a gente tem uma reunião na delegacia do Sindifisco fico com vergonha da nossa…então estou fazendo esta observação pois tem muito dinheiro das delegacias sendo guardado… Lá,  quando passou este modelo a idéia era que a gente transformasse o Safiteba numa associação, usasse o Safiteba as instalações de lá passassem a ser do Sinait, … mas isso não rolou….   e a briga lá  continua, embora um pouco menos agora, pois o Mário, que é a grande praga não é mais presidente, mas continua perturbando a vida de todo mundo,entao eu não sei de que maneira poderia haver dentro do orçamento alguma forma da gente estruturar, porque na Bahia precisa de uma sede melhor…

Resposta de Carlos Silva: … somado hoje as contas de todas as DS’s dá um total de quatro milhões e trezentos mil, em saldo bancário… tu tá falando aqui de um problema de compra de sede… só que a gente tem que pensar em soluções mas não achando que a solução está sempre na DEN… fechando…, só para te dizer…não tem condição não meu amigo…(segue uma gargalhada geral).

 

  • Ao que consta, as reuniões do CDS não são secretas, (aliás de ofício deviam ser gravadas e atas disponibilizadas, pois importam em relevantes custos com passagens, hospedagens e alimentação entre outros e deviam produzir algo relevante). Portanto, (salvo se for questionado a veracidade do áudio), apenas trás a luz, como uma narrativa é construída no estado e o que se verdadeiramente pensa longe dos ouvidos dos associados;

 

  • Durante 25 anos o SAFITEBA, foi o representante dos Auditores fiscais do Trabalho da Bahia nas instâncias nacionais. As alterações ocorridas nos últimos cinco anos se revelaram um completo fracasso e apenas a perpetuação do adesismo acrítico do grupamento local que dirige a delegacia, sem falar no desperdício de recursos, (como comprar uma sede). Ao invés de fortalecer a carreira na Bahia, só enfraquecemos;

 

  • A atual gestão do SINAIT padece de uma enorme crise de representatividade e legitimidade, insiste em utilizar um sistema de votação com fortíssimos indícios de fraude, (empresa Studiorama) e mesmo assim, a diretoria do Sinait e a Chapa 2, (situação) foram a justiça para manter o uso do software da nebulosa Studiorama, tudo isto com o beneplácito e aplauso dos apoiadores locais da chapa 2, que também concorrem a DS local com o mesmo número.

 

 

  • O informativo do Safiteba, relata as lutas da entidade sempre com a participação dos colega, diferente da prática cupulista e subserviente à superintendentes e chefias, tradição política do referido grupo. Neste diapação um elemento esclarecedor das nossas diferenças é que enquanto o Safiteba se somou a luta por uma sede própria e denuncia o estelionato praticado contra a carreira, divulgando que dois milhões foram gastos na reforma do “casarão do comércio”, o informativo da DS local, “elogia” a obra de reforma do prédio do Ministério da Fazenda;

 

  • Não existem duas entidades sindicais na Bahia. Existe uma de fato, de direito e na manifestação da categoria, que como se esquecem os representantes da DS local, foi objetivo de votação em urna, olho no olho, que ensejou a maior votação nominal na história do Safiteba em uma assembléia, com quase 80% de participantes. O SAFITEBA não usa sistemas eletrônicos da Studiorama. Do outro temos uma filial da entidade sindical nacional, sem registro sindical nem legitimidade ativa ou passiva. Apenas um repositório de apoiadores acríticos de tudo que emana da DEN do SINAIT;

 

  • Por fim estranhamos a indignação destes colegas, pois deviam estar mais preocupados com o gigantesca marmelada que se avizinha nas eleições do Sinait, situação de envergonhar e corar qualquer pessoas, ainda mais uma carreira de auditores. Nisto ao invés de indignação, apenas aplausos.

 

Nossas diferenças ficam claras.