Home / NOTÍCIAS NACIONAIS / Auditores-Fiscais do Trabalho realizam ato em memória das vítimas da Chacina de Unaí

Auditores-Fiscais do Trabalho realizam ato em memória das vítimas da Chacina de Unaí

Um ato realizado em frente à Superintendência Regional do Trabalho (SRTE/BA), nesta quarta-feira (04/11) homenageou as vítimas da Chacina de Unaí, assassinadas em 2004. A mobilização foi organizada pelo Safiteba e pela Delegacia Sindical do Sinait na Bahia DS/BA e contou com a participação de representantes do Ministério Público do Trabalho, Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 5ª Região, e de entidades sindicais como Fetracom, Sintracom, Nova Central e Central Sindical e Popular.

Os Auditores-Fiscais do Trabalho pediram justiça pelos colegas assassinados, no mesmo dia que acontecia o julgamento de Antério Mânica, um dos acusados de ser mandante do crime, na sede da Justiça Federal em Belo Horizonte.

Após o adiamento do julgamento do dia 27, finalmente um dos mandantes já havia sido condenado a 96 anos de prisão. O presidente do Safiteba Mário Diniz que cobrou a punição dos envolvidos, ressaltando que o julgamento representa uma vitória para a categoria.  Ele também pediu o fortalecimento também da inspeção do trabalho.

O presidente da DS/BA, Wellington Maciel Paulo, lembrou o crime ocorrido há 12 anos e criticou a longa espera pelos julgamentos dos mandantes do crime. Ele lamentou que os dois outros acusados de participação no crime, Norberto Mânica e José Alberto de Castro, que foram condenados a 100 anos de reclusão, possam cumprir a pena em liberdade.

Para o superintendente da SRTE/BA, Severiano Alves, elogiou o ato promovido pela DS/BA e Safiteba. “O dia de hoje representa um ato de repúdio à violência e a interferência de quem não tem sentimento humano de atrapalhar ou violar um direito de ação de um trabalhador que exerce uma função constitucional e essas pessoas de forma bárbara foram impedidas do exercício desta função o que para nós é um repúdio”, destacou.

O procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho (MPT) na Bahia, Alberto Bastos Balazeiro falou sobre a importância do ato e destacou que a Chacina de Unaí foi um crime contra o Estado brasileiro. Ele criticou o desaparelhamento do governo, que põe em risco os órgãos responsáveis pela fiscalização e proteção do trabalhador. “A função do Estado é proteger e não deixar que sejamos vítima de ameaças”,salientou.

A presidente da Amatra5 Rosemeire Fernandes, destacou que é necessário que a sociedade entenda a importância do julgamento e do papel da fiscalização do trabalho, pois se trata da garantia do cumprimento dos direitos dos trabalhadores. . “Sem a fiscalização a promoção dos direitos é prejudicada”, pontuou.

Veja Também

Chacina de Unaí (6)

Auditores-Fiscais do Trabalho da Bahia reúnem entidades para ato pela punição dos mandantes da Chacina de Unaí

Com rosas brancas e uma “cerimônia de velas”, Auditores-Fiscais da Bahia realizaram um ato em ...

Deixe uma resposta

Facebook

Get the Facebook Likebox Slider Pro for WordPress